Atividades pedagógicas para autismo infantil

Quem pensa que uma criança autista não é capaz de aprender certamente deve rever seus conceitos. Uma sala de aula que tenha crianças com autismo ou não pode conter atividades suficientes para ensinar a todos eles. Todos mesmo.

A educação infantil passa por uma transformação no sentido de abrir suas portas para estudantes regulares ou que apresentem alguma síndrome. As atividades pedagógicas podem ser amplamente aproveitadas sem excluir quem quer que seja. Elas juntam o lúdico com o poder de ensinar. O resultado é dividido em dois pontos: aproveitamento e diversão das crianças.

Cada aluno com sua peculiaridade

É preciso levar em conta que cada um deles apresenta uma peculiaridade, o que deve ser respeitado e, posteriormente, trabalhado.

Alimentação influencia no aprendizado do autista?

Sim. É possível que o estudante com autismo tenha alergia a algum alimento e isso pode ser danoso ao comportamento do pequeno, pois pode causar irritação extrema, prejudicando o aprendizado. A terapia nutricional aliada a uma dieta balanceada, que dê à criança uma excelente qualidade de vida, é um passo imprescindível.

Quais atividades pedagógicas podem ser aplicadas?

Tratamos neste artigo sobre as tarefas voltadas à educação infantil. Então, a maioria delas refere-se ao aspecto motor, sensorial, afetivo (o afeto é um caminho infalível para despertar o interesse no autista). Vejam algumas delas:

– Teatro de fantoche: cada criança terá que escolher um personagem. O educador fica responsável pela orientação. É aconselhável que se estimule nas crianças a criação de vozes para deixar a atividade mais lúdica. Além da socialização, o aluno aumenta o seu vocabulário aprendendo novas palavras;

– Traçando novas pegadas: o professor colocará pegadas no chão (em cartolina). Cada aluno deverá pisar nas pegadas e falar para todos se o pé é direito ou esquerdo. Ótimo exercício desenvolver o equilíbrio, a lateralidade e a coordenação motora global;

– Tocando instrumentos: os pequenos ficarão responsáveis por seus instrumentos. Cada um deles tocará individualmente para toda a turma. Depois, o educador pergunta o que acabara de ser tocado para que as crianças respondam. Essa brincadeira é ideal para que eles tenham identificação auditiva, memorização e orientação espacial. No entanto, ela só não é recomendável para autistas que apresentem hipersensibilidade auditiva, pois o risco de causar irritação é grande.

– Brincadeira do alfabeto: a proposta de agora é para os alunos formarem uma roda. Cada um deles escolhe uma letra. Depois, o aluno deverá dizer o porquê da escolha e qual palavra (começado pela letra indicada) ela mais gosta. Por exemplo: gosto de A porque A é amor, B porque B é bolo, etc. Uma boa oportunidade para que as crianças aprendam o abecedário, a linguagem e a comunicação em geral;

– Formas geométricas coloridas (pares): a tarefa é reunir formas geométricas (que tenham pares) com cores diferentes. Exemplo: triângulo azul com triângulo vermelho e por aí vai. Cada aluno ficará responsável por uma junção. Isso desperta a imaginação, a expressão e a distinção das cores e das próprias formas.

Já pensou aprender profundamente sobre o Autismo para melhorar seus atendimentos clínicos, entender melhor seu filho e saber por que seu aluno apresenta determinado comportamento e como trabalhar o processo de inclusão? Em um curso online completo o Dr. Clay Brites te ensina tudo sobre TEA com fundamentação científica e de forma prática e simplificada.

 

Dr Clay Brites

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *