Atividades Psicopedagógicas para crianças com TEA

Vocês, leitores, sabem como é importante para a criança o ato de brincar, jogar e interagir com o ambiente. Não é para menos, a infância é uma fase crucial na vida de uma pessoa, pois está ligada a uma série de desenvolvimentos cognitivos, psicomotor, entre outros. Com isso, as atividades psicopedagógicas são fundamentais para que as crianças encontrem melhor qualidade de vida e muita disposição. E no caso dos pequenos diagnosticados com o Transtorno do Espectro do Autismo (TEA)?

Bom, é verdade que a dinâmica deve ser adaptada para que a criança se sinta parte do processo, mas é importante que em momento nenhum ela se sinta excluída. Muito pelo contrário, as atividades devem promover convergências. Com isso, existem tarefas que são muito bem-vindas para que os pequenos possam aproveitar todos os segundos.

 

Veja a seguir algumas atividades que são eficazes na vida de muitos autistas que ainda estão na infância. Antes, é importante salientar que uma tarefa pode ser boa para uma criança e não ser para outra, considerando a variação comportamental que o TEA pode trazer. A generalização nesse caso nunca deve ser utilizada. Confira a seguir como seu filho ou filha podem aproveitar todas as dicas.

Juntando tampinhas coloridas

Esta atividade consiste em um trabalho com cores, como o nome já indica. Ela é ideal para se desenvolver nos pequenos a percepção de formas, tamanhos; além de ensiná-las detalhes como diferença e semelhança dos objetos.

A brincadeira deve contar com tampinhas de variadas cores e algumas caixas para valer a pena. O adulto que estiver acompanhando deve ajudar a criança, orientando-a a agrupar as tampinhas de acordo com as cores correspondentes das caixas. Tampas vermelhas em caixa vermelha, tampas verdes em caixa verde, tampas amarelas em caixa amarela e assim por diante.

Soletrando o brinquedo

Identifique qual o brinquedo predileto do pequeno. Se a criança ainda estiver aprendendo a falar e estiver se comunicando somente por gestos, nada melhor que estimular a fala com esta atividade.

A partir do momento que você estiver segurando o objeto desejado, comece a falar para a criança o nome do brinquedo. Todo esse processo deve ser bem devagar, ocasionando a soletração do vocábulo. Por exemplo: usa-se a separação de sílaba e depois comece a soletrar. Eis uma maneira interessante de treinar a oralidade da criança com objetos que fazem parte de seu ambiente.

Pescando palavras

Que tal criar uma pescaria diferente, que utilize palavras? Esta brincadeira tem muito a ver com a citada acima. Mas neste caso, cada palavra deve estar em um cartão colorido a qual criança se sentirá motivada a pescar. Não economize na criatividade e tente utilizar palavras referentes a tudo que faça parte do cotidiano do pequeno. Depois, use outros termos para enriquecer o vocabulário.

Cautela

Vale lembrar que estas e outras atividades devem ser feitas depois de um contato com especialistas, pois eles podem auxiliar e até impedir alguma tarefa que não seja adaptada às condições da criança. Portanto, use a criatividade e sempre tenha um profissional por perto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *