Autismo: desenvolvimento da coordenação motora fina

Uma criança com o espectro de autismo deve ter cuidados especiais, mas ela pode e deve brincar. Afinal de contas, a infância precisa ser valorizada em sua essência. Muitos pais e responsáveis ficam em dúvida quando o assunto é brincadeiras que auxiliem a cognição, o bem-estar e a coordenação motora do pequeno.

Brincadeiras que fazem diferença

Algumas práticas auxiliam muito a criança com autismo. A brincadeira age de uma forma impressionante, pois ela estimula a interação social, a comunicação e diminui os comportamentos repetitivos. Além disso, a criança pode desenvolver a coordenação motora de forma satisfatória.

O ato de brincar é terapêutico para a criança autista. No entanto, é importante saber que há determinados brinquedos que devem ser evitados, pois o pequeno precisa se sentir atraído pelo objeto.

Desenvolvendo a coordenação motora fina

Algumas brincadeiras que podem auxiliar a criança e sua coordenação motora:

  • Prender pregadores coloridos em papel;
  • Brincar com bolinhas;
  • Estimular brincadeiras com massinhas;
  • Desenhar com tinta guache, entre outros.

Lembrando sempre que cada criança é especial e precisa ser respeitada em sua individualidade.

Cada criança, uma demanda

Nem todo brinquedo deve ser usado pela criança com autismo, considerando a hipersensibilidade tão comum a ela. Há autistas que têm grande sensibilidade auditiva ou tátil. Um detalhe importante é que a criança autista também apresenta distúrbios sensoriais no que se refere a determinadas texturas. Ela também não gosta de situações que a coloquem apertada (brincadeiras) e pode não gostar de alguns tons de vozes. Então, é importante conhecer a criança para compreender o seu gosto.

Lembre-se que cada criança tem um jeito especial de ser, então a demanda precisa ser para ela de forma que, ao longo do processo, ela possa começar a interagir com outros coleguinhas de sala, da vizinhança, etc.

Considerando ainda os distúrbios sensoriais, é importante ressaltar que brinquedos muito barulhentos podem amedrontá-la ou deixá-la agitada. É preciso tomar muito cuidado e escolher brinquedos que a criança goste.

Colorir, tocar um brinquedo e encaixar peças também são completamente úteis para o desenvolvimento da coordenação motora fina.

Brincadeiras que reduzem a ansiedade

Há brincadeiras que ajudam a reduzir a ansiedade. É muito importante habituar a criança acerca do objeto, das fases da brincadeira e apresentar a ela maneiras de se acostumar com o material. A partir disso, você pode induzi-la a outros objetos, tudo de forma muito paciente para estimular desenvolvimento e habilidades da criança.

Descanso é tudo

O pequeno com autismo precisa descansar e não deve ficar recebendo estímulos de forma acentuada, pois isso pode agitá-lo. É importante frisar que apesar do convívio com outros colegas, a criança precisa também de um momento para brincar sozinha. Isso também é terapêutico. O certo é introduzir aos poucos as atividades para que o pequeno descubra, com o auxílio de um mediador, o que ele gosta.

Carinho é tudo

Não se esqueça que a criança com autismo precisa de atenção, paciência e muito amor para que ela se desenvolva através de um tratamento devido e com muita compreensão.

  • Muito boa a explanação adotada ao sentimentos sensoriais de uma criança autista. Devemos trabalhar com muito amor e segurança, pois precisamos passar para criança e familiares todo esse afeto.

    • Respeitar o tempo da criança e introduzindo aos poucos as praticas motoras, mudanças de atividades são de suma importância para o melhor desenvolvimento do paciente / educando, porém com muita calma e paciência pois o receptor necessita de intervalos para poder interiorizar o novo conhecimento e aceitar as mudanças.

      • Bom dia, adorei os artigos.Pois é muito bom aprofundar meus conhecimento,porém está me ajudando muito em meu trabalho.

      • Muito proveitoso o texto, principalmente para as pessoas que convivem com crianças com essa deficiência.

    • Quando trabalhei com alunos autista montei um cartaz de pregas indicado os horários das aulas que seriam trabalhas e outras rotinas que aconteceria na sala e escola. com figuras ilustrando

    • Muito boa a orientação de como estimular as crianças com autismo. Acho muito importante estarmos reciclando e inovando para poder dar o melhor cada um deles. Parabéns! Abç

  • oi Luciana ,estou encantando com os textos sobre o autista,tenho aprendido muito é muito importante esta troca de experiência .

    • Excelente explicação e boas dicas para o trabalho com crianças autistas.
      Temos alguns alunos com Autismo e outros com Asperger sendo alguns com laudo e outros sem.
      Com essas orientações ficará mais fácil de trabalhar com este alunos.
      Parabéns!

      Leliane

      • Bom dia,
        Excelente texto e muito bom para quem trabalha com autismo, no consultório a demanda é com Deficit de atenção, o que vc teria neste assunto?

  • O desenvolvimento infantil é algo belo. Cada um com sua particularidade, tornando assim em mais belo, ainda. Muito obrigada pelas informações!!

  • Maravilhoso texto muito estimulante e de fácil compreensão nos dá cada vez mais vontade de aprender ,novas coisas a respeito.

  • Texto interessante e com uma exposição direta e de fácil compreensão. uso de brinquedos e brincadeiras é importantíssimo para o desenvolvimento da atenção, concentração e da praxia fina.

  • GOSTARIA MUITO DE SABER A RESPEITO DO AUTISTA ASPERGER, POIS LEVEI MEU FILHO AO PSICOLOGO E ELE PEDIU PRA Q EULEVE-O PRA FAZER EXAMES PRA SABER SE É TDAH OU ASPERGER

  • Olá Luciana! Amei a matéria! Principalmente o parágrafo que fala da dosagem de estímulos e da presença de um mediador. A maioria dos leigos acha que todo autista e/ou criança com deficiência, necessita ser estimulada o tempo todo. Os estímulos são realmente necessários, mas tem que haver uma dosagem para estes, porque a criança necessita de descanso e de tranquilidade também!
    Abraços.
    Márcia Cristina.

  • Olá Luciana! Parabéns pelos materiais. Todos contribuindo para o nosso conhecimento e aplicação. Obrigada.

    • Muito interessante esse texto sobre os autistas pois nós professores precisamos saber mais sobre esse assunto e assim melhorar nossa atuação na sala de aula e saber lidar com essas crianças.

  • Oi Luciana estou de coordenadora em uma escola municipal e estou usando seus artigos na reunião semanal com nossos professores ,pois no ano de 2017 iremos receber um aluno autista no primeiro ano. Oubrigado pelas contribuições.

    • Gostei muito do texto, faz uma ótima explanação sobre o assunto, abre um leque de opções e oportunidades para ser trabalhar com este público.

  • Boa tarde Luciane.
    Tenho acompanhado todos os textos, são todos muito interessantes. Alguns deles disponibilizei na escola em que trabalho para compartilhar com meus colegas também.

  • O seu comentário está aguardando moderação.
    14 de setembro de 2016 às 16:24 Respeitar o tempo da criança e introduzindo aos poucos as praticas motoras, mudanças de atividades são de suma importância para o melhor desenvolvimento do paciente / educando, porém com muita calma e paciência pois o receptor necessita de intervalos para poder interiorizar o novo conhecimento e aceitar as mudanças.

    • Luciana, boa noite!

      O texto é claro e auxilia na condução de uma prática eficiente com crianças autistas e perceber o grupo onde onde estão inseridos.
      grata.

  • AMEI O TEXTO, GOSTO MUITO DE INFORMAÇÃO SOBRE AUTISMO OU SOBRE A SÍNDROME DE ASPERGER.
    ESTES TEXTOS CONTRIBUEM PARA MEU ARTIGO SOBRE A PSICOMOTRICIDADE AUXILIANDO O AUTISTA NA ESCOLA.

  • Gosto muito de tudo o que vc nos passa .Aprendo mais facilitando meu trabalho em sala de aula.Tenho alunos com TDAH,Obrigada.Um Abraço.

  • Boa noite. As dinâmicas apontadas no texto se aplicam exclusivamente para crianças, ou pode ser aplicadas também para adolescentes autistas?

  • Acredito, que quanto mais aprendermos sobre nossas crianças,melhor.Em sala de aula recebemos alunos,que precisam ser compreendidos e estimulados a se desenvolverem com alegria.Estou muito interessada em ter cada vez informações nessa área.

  • Gostei muito do texto, realmente devemos respeitar o tempo da criança, pois cada uma é diferente da outra.

  • Gostei muito da explanação sobre o assunto, especialmente quando fala da estimulação, e que a criança precisa de um tempo sozinha. Deixá-la se manifestar e observar quais são as suas preferencias poderá ajudá-la em momentos específicos.

  • Muito enriquecedor e necessário para ajudar a melhor trabalhar com crianças que apresentam tal síndrome. Abraços.

  • Muito enriquecedor e necessário para ajudar a melhor trabalhar com crianças que apresentam tal síndrome. Abraços.

  • Boa noite. Como sempre os artigos são muito ricos em conhecimentos. Parabéns pelo empenho e obrigada por tudo.

  • É muito interesse as informações elaboradas para o convívio com a criança autista. Tenho oportunidade desse relacionamento e concordo com as colocações para o seu desenvolvimento o estímulo tem que ser dosado sim e muita paciência e amor ajudam no seu interesse.

  • A criança com autismo usa o mediador ou alguém, como extensão do próprio corpo.
    É por causa da dificuldade na coordenação motora?

  • Gostei muito do conteúdo apresentado. Vem acrescentar e reforçar a importância do vínculo com a criança autista, para o melhor desenvolvimento e inserção dela nas atividades coletivas.

  • Amei o conteúdo, tudo de forma simples e objetiva, com palavras(explicações) do nosso cotidiano. Estou gostando muito de poder estar participando de tudo isso,também podemos perceber que tudo está sendo feito com muito carinho.

  • Luciana. Excelente esvlarecer pontos importantes. Como psicomotricista procuro oferecer momentos de relaxamento. Um tempo compartilhado de silencio e calma. Para que a criança perceba seu corpo sua respiraçao. Sugiro aos pais. Obrigafa por compartilhar

  • Texto muito importante para nós, docentes, muitas vezes pensamos que o brincar deve ser introduzido a todo momento para nossos alunos, mas percebemos com a leitura desse texto que, devemos ter cuidados e conhecimentos sobre a deficiência que nossos alunos têm. Senão, ao invés de ajudá-los podemos prejudicá-los na sua aprendizagem. Gostei muito do texto.

  • Bom Dia Luciana;

    O texto contempla as crianças autistas ou não ,pois quem lida com crianças sente-se contemplada com as informações e contribuições que o texto trás para evitar danos futuros na vida de nossos filhos,netos,alunos.É sempre bom podermos contar com informações tão valiosas em nossas práticas.

  • MUITO INTERESSANTE O TEXTO…COMPLEMENTEI O CONHECIMENTO ADQUIRIDO COM ESSA LEITURA, E JÁ MODIFIQUEI ALGUMAS ATIVIDADES.

  • BOA NOITE A TODOS!
    GOSTEI MUITO SOBRE O TEMA ,SABER COMO LIDAR COM O AUTISTA, E A MELHOR MANEIRA DE TRABALHAR COM A COORDENAÇÃO MOTORA FINA ,E OS TIPOS DE BRINQUEDOS E BRINCADEIRAS.REALMENTE A CRIANÇA AUTISTA NÃO TOLERA BARULHO E ATIVIDADES MUITO LONGAS,TEM QUE SER TUDO NO TEMPO DELE É ELE QUE DETERMINA ATÉ QUANDO AQUELA ATIVIDADE VAI DURAR POIS QUANDO ELE NÃO QUER MAIS NÃO ADIANTA INSISTIR .

  • Quão importante é sabermos sobre as doenças que estão presentes em nossas casas e escolas. Aprofundar o conhecimento é papel sim do professor do séc. XXI que tem como objetivo não só ministrar aulas de conteúdos que fazem parte de um currículo, mas em suas aulas desenvolver métodos que devolvam outras habilidades não só pensantes, intelectuais, mas sensoriais, interpessoais,a fetivas… a fim de aproximar-se cada vez mais de forma abrangente de todos os alunos, com ou sem laudo.

  • Gostei muito do texto!! uma ajuda excelente para aprimorar nosso conhecimento , entender e trabalhar com os pequenos.

  • Olá Luciane, atendo crianças com autismo e o texto é realmente muito bom. As leituras tem contribuído e enriquecido meu trabalho.

  • O material é muito bom. As informações bem objetivas.
    A criança com autismo precisa do tempo dela, ela é que vai mostrar quando precisa de carinho, buscando e pedindo a atenção do mediador com pequenos gestos, um olhar. As brincadeiras podem ser em grupo, mas é bom deixar partir dela a aproximação ao grupo… Por que não levar o grupo até ela? Pedir às outras crianças para chamá-la para brincar também é uma ótima solução, pois entre elas a interação é diferente.

  • Muito bem colocado o assunto que reforça a importância da coordenação motora fina, trabalhos como esse que ajuda a criança com TEA evoluir em muitos aspectos.

  • Gosto muito do tema. Excelente texto. As crianças com autismo precisam além do estímulo, atenção, compreensão, carinho, de rotina. Esta é muito importante para ela estar sempre situada no seu contexto diário. Quando trabalhei com uma criança autista, montei uma rotina semanal com figura escrita, todos os dias situava a criança do que faríamos daquele dia, de segunda a sexta-feira. Foi muito rica a experiência. A criança ficava mais tranquila e adquiria autonomia nas suas ações.

  • Amei o texto, ele abri as possibilidades de se trabalhar com esta demanda. Possibilidades que nem imaginava existir. Sou grata pela oportunidade de participar desde momento de aprendizagem. Fiquei estimulada a continuar para conhecer ainda mais este universo.

  • Tenho um filho de 15 anos. Foi muita luta contra o mundo e contra a sociedade !A sociedades é muito difícil, é muito cruel hoje está muito bem hoje está muito melhor. Os projetos sociais é muito importante tanto pras criança como pais e para mães.

  • Gostei muito das informações… elas estão me ajudando muito com meu filho … Na parte que fala sobre as brincadeiras que reduzem a ansiedade será que vcs poderiam dar alguns exemplos de brincadeira? Gratidão!!!!

  • Adorei, o material riquíssimo, tudo que estou precisando para melhorar minha atuação como professora do AEE- Atendimento Educacional Especializado,

  • O texto sobre autismo é muito interessante pois nós professores precisamos enriquecer nossos conhecimentos sobre crianças autistas para sabermos lidar com elas.

  • Uma explanação de alto nível, Parabéns! Adorei as dicas e orientações para intervenção no aspecto da coordenação motora fina. Minha clientela necessita de maiores estímulos nessa área.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *