Brincadeiras na estimulação de crianças com Autismo (TEA)

Como já se sabe, o tratamento do Autismo deve ser sempre interdisciplinar e as evidências têm mostrado que as estratégias mais eficazes envolvem atividades que envolva a criança com Autismo com outras pessoas e em sequências compartilhadas que tenham começo-meio-fim e sentido social.  Dentre estas atividades, ressalta-se a utilização de brinquedos que possam auxiliar no seu desenvolvimento motor, social e sensorial.

Os brinquedos e as brincadeiras que devem ser adotadas nos processos de estimulação de crianças com Autismo precisam, antes de tudo, serem adequadas de acordo com o perfil da criança que se quer estimular. Devem ser prazerosos, agradáveis, desejados e não podem gerar medo, suspeição ou enojamento. Sabemos que estas crianças são hipersensíveis e costumam ter grande repúdio por determinadas cores, sons, texturas e paladares e um brinquedo deve ser sob medida para esta ou aquela criança.

Podemos assim, sob o ponto de vista de modo de estimulação, ter brinquedos para desenvolver 4 eixos neuropsicomotores de crianças com Autismo:  coordenação motora grossa, motora fina,  interação social e integração sensorial. Vamos aos brinquedos e às brincadeiras: sanduíche de criança,  procure a múmia, movimentar a criança dentro de uma caixa, conduzir a criança estando em cima de um lençol, atravessar túnel de pernas, balançar na rede,  procurar com olhos vendados, esconde-esconde,  pula cores, etc.  Estes brinquedos não são barulhentos e apenas se utilizam de regras simples com a participação de outras crianças.  Ajuda a estimular coordenação olho-pé, identificar cores e nomes, consciência espacial, auxilia a socialização, esperar a vez, começar e terminar, consciência corporal.

O uso de quebra-cabeças, cartas de cores, materiais de encaixe, identificação de faces auxilia a criança a estimular sua consciência de emoções faciais, coordenação motora fina, estimula identificação de faces e aumenta a sensibilidade proprioceptiva.  Estes brinquedos são constituídos de formas e detalhes que levam a criança a cumprir etapas e objetivos bem definidos, o que ajuda muito a criança com autismo a cumprir tarefas até o fim. Jogos constituídos de cheiros, paladares, texturas e sons também podem ser úteis na medida que podem avaliar a aptidão da criança pelos diversos estímulos sensoriais e desenvolver outras aptidões por novos estímulos.

Deve-se lembrar que é comum Autistas gostarem de atividades com água, pedaços de espuma, caixas de areia e itens que envolvam balanços. Nestes casos, o brinquedo ajuda a relaxar e traz imenso prazer. Podem ser acionados nos casos de estresse e agressividade. Nunca é demais comentar que normalmente estas crianças se sobrecarregam rapidamente e ficam enjoadas ou irritadas com muitos estímulos e, assim, temos que apresentar estes estímulos pouco-a-pouco e paulatinamente e mais das vezes, dar a oportunidade de brincar um pouco sozinho para descansar.

Assista nossa live sobre sobre Brincadeiras no TEA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *