Como ensinar matemática para crianças com autismo?

Quando precisamos ensinar algo a uma criança, sobretudo autista, é imprescindível que tenhamos bastante paciência e carinho para apresentar os conteúdos a ela. Afinal de contas, a percepção no autismo é diferente e cada indivíduo tem a sua peculiaridade. Detalhes como a linguagem a ser utilizada, a disponibilidade de objetos e até o local são determinantes para esta finalidade. Veja neste artigo como e o que pode ser feito para ensinar matemática para crianças autistas.

Identificar a linguagem adequada

É sabido que crianças autistas manifestam variações quanto à absorção dos conteúdos que são apresentados pelos adultos. Além disso, a severidade do autismo do pequeno deve ser levada em conta na hora de iniciar as atividades.

É importante que se saiba sobre esse detalhe, pois o entendimento da criança vai depender da forma que a informação chegará até ela. No caso de um autismo muito severo, a utilização de palavras pode não ser tão eficaz; o estímulo visual serve como alternativa.

 

Atividades divertidas

A matemática é um campo do conhecimento que requer bastante interesse. No entanto, a criança pode mostrar o contrário, embora muitos autistas tenham uma relativa facilidade com os números. Para driblar um eventual desinteresse, nada mais indicado que tornar as atividades bastante lúdicas, com a utilização de objetos que despertem a vontade no pequeno.

Elabore situações que envolvem algum objeto interessante

As crianças autistas geralmente demonstram um gosto maior por determinados objetos e cores. Procure usar isso a seu favor, elaborando exercícios e brincadeiras voltados para esses itens.

Ensinando passo a passo

Lembre-se que a paciência é um detalhe extremamente importante no ensino a uma criança com autismo. Há casos de autistas que conseguem ler. Em situações como essas, o aconselhável é escrever as instruções da atividade por tópicos bem simples e sem palavras ambíguas.

Para aquelas que ainda não dominam ou realmente apresentam muitas dificuldades com a leitura, a melhor forma de ensino é realmente a via oral. Sendo assim, explique todas as etapas de forma gradativa. É importante que o adulto esteja atento a alguma demonstração de dúvida pela criança.

 

O local adequado

Escolha o lugar mais tranquilo da casa, possivelmente longe de ruídos externos, aqueles que podem tirar a calma da criança. Vale ressaltar que existem certos barulhos que irritam o autista de forma intensa. Um ambiente mais ameno e neutro pode auxiliar bastante o ensino de matemática.

Utilização de jogos eletrônicos como suporte de aprendizado

Os tablets são grandes alternativas no desenvolvimento cognitivo de um autista. No caso da matemática, há muitos exemplos de jogos eletrônicos que são usados para estimular a percepção da criança. Grande parte dos jogos disponibiliza uma interface rica em cores, além de bem distribuídas. Outro detalhe é o aspecto segmentado que essas atrações apresentam, dando aos pequenos algumas noções primordiais da matemática.

Acompanhamento profissional

Mesmo com todas as dicas acima, é válido ressaltar que somente com o acompanhamento profissional médico, psicopedagógico, fonoaudiológico e outros sua criança terá toda a base para absorver o conteúdo ensinado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *