Como resolver a dificuldade no contato visual no Autismo?

A dificuldade no contato visual no autismo é um dos aspectos do transtorno e se apresenta de forma variada. Como resolver? Veja dicas para professores, família e profissionais, neste artigo.

Assim como a dificuldade no contato visual no autismo, outros aspectos como a fala e articulação dos sons, variam de grau e intensidade de pessoa para pessoa. Algumas falam muito bem e conseguem articular os sons enquanto outras têm uma ausência total de fala. A mesma coisa acontece em relação ao contato visual.

Algumas crianças com autismo não olham quando alguém chama pelo seu nome ou lhe mostra alguma coisa. Já outras, interagem com um olhar mais breve, onde a dificuldade está na manutenção e na troca desse olhar. De qualquer forma, é muito importante desenvolver a capacidade de contato visual no autismo.

Se você é terapeuta, pai, mãe ou professor e quer saber mais sobre como resolver a dificuldade no contato visual no autismo, esse artigo é para você.  

O contato visual no Autismo

Muitas pessoas ficam em dúvida se é importante buscar melhorar o contato visual no autismo. Quando conversamos com alguém queremos que a pessoa olhe nos nossos olhos para que a gente veja que ela está ouvindo e nos dando atenção. No entanto, não é só por isso que o contato visual é importante.

Por meio do contato visual, a criança imita os movimentos articulatórios da fala da outra pessoa para que aprenda a produzir sons. Da mesma forma, as crianças imitam os pais nas brincadeiras e aprendem uma série de habilidades.

O contato visual é fundamental tanto para o relacionamento interpessoal — para estabelecer uma conexão com a pessoa — como também para aprender o que acontece no nosso ambiente.

É possível detectar a dificuldade no contato visual prestando atenção no olhar da criança desde bebê. Ainda que seja um dos primeiros sinais de autismo, quando a criança ainda é um bebê não se faz diagnóstico. No entanto, a partir desses sinais de alerta, já pode se pensar em possíveis intervenções. 

Quanto mais precoce for a intervenção, maior a possibilidade de desenvolvimento da criança. Observar se há uma dificuldade no contato visual é um instrumento fundamental de avaliação para identificação e encaminhamento dessas crianças. 

Dicas práticas para resolver a dificuldade no contato visual no autismo

O contato visual é, portanto, muito importante, tanto para os relacionamentos pessoais quanto para a aprendizagem. Na escola, a criança precisa olhar para professora para ver o que ela está fazendo. Da mesma forma, olhar para os colegas facilita fazer amizades e interagir, compartilhar interesses. 

Quando adulto, a dificuldade no contato visual no autismo, pode comprometer outros aspectos da vida da pessoa, como o profissional. Em uma entrevista de emprego, por exemplo, o contato visual é fundamental. Portanto, esse aspecto permeia a vida da pessoa com autismo desde bebê até a vida adulta. 

Dessa forma, é muito importante começar a trabalhar o contato visual no autismo, quanto antes. Estimular o contato visual, vai favorecer uma série de outras aprendizagens. 

Uma dica para atrair o olhar da criança com autismo é diminuir os estímulos do ambiente, seja em uma situação de intervenção terapêutica ou em casa. Isso porque com vários estímulos ao redor, a chance da criança se distrair é maior.

Outra dica é se colocar na frente da criança, seja no chão ou em uma mesa. É muito comum que, ao sentarmos no chão para brincar com uma criança com autismo, ela se vire de costas. Tente usar algum objeto ou estímulo que a atraia e a faça ficar de frente para você.

Outra estratégia é usar os interesses da criança, coisas que ela gosta, que chamem a sua atenção. Por exemplo, se ela gosta de bolinha de sabão, você pode fazer isso sem pedir que ela olhe para você, mas quando ela olhar, mostre que ficou feliz. Toda vez que ela olhar novamente, você faz a bolinha de sabão.

Para atrair a sua atenção e o olhar dela para você, experimente usar alguns adereços no rosto: óculos, chapéu, um pedaço de papel com o formato dos olhos, fantoche, entre outros. Seja criativo e deixe esse momento mais lúdico.

Já com adolescentes e adultos, o treino do contato visual pode ser mais direcionado. Por exemplo, se eles precisam de ajuda para se preparar para uma entrevista de emprego, use estratégias que demonstrem em quais momentos ele deve olhar para o interlocutor.

Essas são algumas dicas que podem ser usadas para melhorar o contato visual no autismo. Se você tem outras dicas, compartilhe conosco, deixe nos comentários!

Referências:

GADIA, Carlos A.; TUCHMAN, Roberto  and  ROTTA, Newra T.. Autismo e doenças invasivas de desenvolvimento. J. Pediatr. (Rio J.) [online]. 2004, vol.80, n.2, suppl. [cited  2020-05-21], pp.83-94. 

MARANHAO, Samantha Santos de Albuquerque  e  PIRES, Izabel Augusta Hazin. Funções executivas e habilidades sociais no espectro autista: um estudo multicasos. Cad. Pós-Grad. Distúrb. Desenvolv. [online]. 2017, vol.17, n.1 [citado  2020-05-21], pp. 100-113 . 

Dr Clay Brites

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *