Crise de Agressividade no TEA: como ajudar no comportamento?

Por acaso você já presenciou uma cena de agitação em alguma criança com autismo? Essa situação evoluiu para um comportamento agressivo ou não? Saiba que experiências como essas podem ser vivenciadas por muitas pessoas que estão incluídas no Transtorno do Espectro Autista (TEA). É importante saber o porquê disso e como amenizar esses quadros.

Não são poucos os casos em que pais e mães vêm aos consultórios a fim de esclarecer os motivos, além de saber qual a solução pode ser aplicada. Contudo, todos precisam saber que cada paciente deve ser tratado de forma única, ou seja, cada indivíduo apresenta um perfil comportamental que é analisado pela equipe de profissionais.

Por que as crises de agressividade acontecem?

Para começo de conversa, torna-se imprescindível que saibamos a carência a qual uma pessoa com autismo tem, sobretudo no entendimento de símbolos sociais. Por não compreenderem todo esse conjunto de normas e condutas, é provável que diante de alguma contrariedade, ela demonstre algum comportamento mais agressivo. No entanto, isso jamais ocorre propositalmente. Vejam abaixo quais fatores provocam essa reação nos pequenos, jovens e adultos com autismo:

– Quando expostas a situações que causem grande irritação a elas, por exemplo: locais muito movimentados ou que ofereçam informações em excesso (ruídos de pessoas, músicas, tilintar de talheres, etc.);

– Hipersensibilidades são, na maioria das vezes, o que leva crianças a manifestarem uma atitude de impaciência. A questão mencionada acima (ruídos) é um dos pontos que provoca essa tensão nelas, pois os estímulos que surgem costumam prejudicar o processo sensorial do pequeno. Além do citado anteriormente, uma pessoa com autismo também pode apresentar essa sensibilidade excessiva na visão, paladar, olfato, toque (citando os principais).

O que pode ser feito para evitar ou controlar crises de agressividades?

É importante pensarmos em estratégias que visam ao bem-estar de quem convive com TEA. Para isso, vocês encontram algumas formas de contornar essas condições:

– Ambiente adequado

O ambiente é outra coisa que deve ser levada em conta para evitar a agressividade da criança. Para começar, ele deve ser confortável, pois nada melhor que dar à criança condições de ficar sempre tranquila.

– Utilize objetos que tranquilize a criança

Quando a criança demonstra irritabilidade, uma ótima maneira de amenizar a impulsividade dela é utilizar objetos que diminuam o comportamento da criança: algum jogo, equipamento, brinquedo, etc.

– Técnicas que podem ajudá-los em momentos de estresse

Você pode ensinar os pequenos algumas maneiras de evitar aquilo que causa irritação a elas: respirar fundo, contar até cinco e pedir ajuda, afastar-se do que atrapalha seu bem-estar, entre outros.

Converse com seu filho sobre comportamentos inadequados

Uma dica valiosa é o diálogo. Fale para seu filho que não é legal agredir ninguém com palavras ou atitudes. Vale lembrar, no entanto, que o aconselhável é estabelecer essa relação com ele desde muito pequeno; além de apresentar bons exemplos de comportamento que tendem a ajudá-los em situações futuras.

Converse sempre com profissionais

Nunca se esqueça que especialistas estão prontos para ajudar. Esse acompanhamento é fundamental para a vida de seu pequeno.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *