Dicas para professores que trabalham com crianças Autistas

Muitos profissionais da educação se veem diante de um desafio quando precisam se perguntar: como trabalhar com autismo? Embora a resposta ofereça um leque de argumentos, a prática em si não é impossível e de alta complexidade, como muitos pensam. Tudo isso, porém, se os professores souberem que cada criança é única e ela precisa de um tratamento especial, mas sem estabelecer uma barreira entre os alunos autistas e os demais estudantes.

O autismo é um transtorno neurobiológico, mas que se for submetido a um tratamento adequado, pode ser amenizado e oferecer à pessoa uma vida normal, inclusive na fase escolar. Para saber como dar à criança autista uma educação escolar satisfatória, veja abaixo algumas dicas que vão ajudar vários profissionais que procuram se aperfeiçoar na docência sem exclusão.

– Mantenha um diálogo constante com os pais da criança e outros especialistas

Para estabelecer uma ótima relação com o aluno autista, nada melhor que o contato com os pais do estudante e com os especialistas que o acompanham no tratamento. É importante que haja essa troca de informações que têm por objetivo conhecer mais quais são as necessidades e os desafios que a criança precisa superar. É sempre bom ressaltar que os professores tenham uma agenda onde possam anotar todas as habilidades conquistadas, assim como as dificuldades.

– Estimule a criança com o que ela demonstrou mais afeição

Se a criança manifestar interesse em algum personagem de desenho, por exemplo, estabeleça exercícios baseados nessa predileção. Problemas de matemática e construção de frases com os desenhos que ela mais gosta são uma ótima alternativa. Se suas aulas forem mais interativas, procure cantar para explicar uma situação que tenha a ver com a explicação.

– Peça à criança que ela faça tudo em partes

Cada exercício de cada vez. É imprescindível que os professores reconheçam o ritmo da criança e não peça que ela faça todas as atividades de uma vez. Deixe que ela descubra suas habilidades, com o seu auxílio, e até mesmo suas dificuldades para que você possa trabalhá-las com prioridade e fazer com que ela aprenda com segurança.

– Utilize objetos e acessórios que podem estimular a atenção visual da criança

Um dos segredos para ensinar algo a um aluno autista é chamar sua atenção com objetos que despertem interesse. Portanto, quando você utiliza figuras, fotos e outros itens visuais para explicar durante as aulas, a criança pode aprender de forma satisfatória.

– Sempre tenha e demonstre paciência

Crianças autistas podem apresentar comportamentos alterados e, por conta disso, demorar um pouco para se acalmar depois de uma birra, por exemplo. É importante que o professor reconheça a origem desse comportamento (por isso, a conversa com familiares e profissionais especialistas é imprescindível) e logo depois tente chamar a atenção do aluno com algum objeto que desperte o seu interesse e vá acalmando-o aos poucos. Jamais fale alto ou demonstre irritabilidade. Paciência é tudo!

– Prepare o aluno para eventuais mudanças de rotina

Quando houver a necessidade de mudar algo na rotina da criança, tente prepará-la levando-a ao lugar e ou à atividade que ela terá de fazer. A partir do comportamento dela, veja quais serão os desafios a serem superados.

Estas dicas acima são apenas algumas que podem auxiliar professores em uma relação satisfatória com um aluno autista. Entretanto, vale lembrar que o contato com a família e os terapeutas que o acompanham é essencial.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *