Dificuldade e atraso na fala pode ser Autismo?

Uma criança com atraso de fala precisa urgentemente de uma avaliação criteriosa e merece observação e intervenção precoces. Mas esta condição pode ser apenas um elemento de uma anomalia mais ampla e grave. Esta criança pode ter deficiência auditiva, uma malformação cerebral, pode ser vítima de abuso ou viver em carência afetiva. Mas ela pode também apresentar uma transtorno de desenvolvimento e o mais preocupante é o Autismo.

Existem 3 tipos de problemas ou distúrbios durante o desenvolvimento da fala ou da linguagem na criança : o atraso, a dissociação e o desvio. O atraso é quando a progressão fala ocorre mais lentamente e seu desempenho fica bem abaixo do esperado; a dissociação ocorre quando o atraso de fala ocorre de forma mais intensa quando comparado a outros quesitos do desenvolvimento;   o desvio é o mais grave : verifica-se uma aquisição totalmente anômala e sem associação com uma comunicação adequada. É neste último que se inclui o Autismo.

O Autismo acarreta um desvio no desenvolvimento da fala da criança levando-a a regredir na organização e na intenção social da fala ou ao começar a falar ( se falar ) a criança não o faz com sentido social nem de acordo com o contexto e pode ainda apresentar ecolalias, jargões e inversões de pronome ( em vez de “eu”, ele diz “ o João quer isto” ).

Outra forma inadequada e curiosa de expressar a fala comum em Autistas (especialmente os TEA Leve ou Asperger) é falar num ritmo sempre igual e sem colocar sentimento no tom e no ritmo da fala. Chamamos isto de ausência de prosódia ou prosódia monótona. Podem inclusive ter uma fala rebuscada, excessivamente formal e intelectualizada mas mesmo assim desconectada do ambiente descontraído e espontâneo a sua volta e que no mínimo chama a atenção e causa estranheza.

Portanto, atraso de fala pode ser um sinal que pode abrir várias possibilidades, inclusive o Autismo/TEA. Por este motivo, pais, escolas, médicos e profissionais não-médicos não podem ignorar a presença deste sinal clínico em qualquer criança que venha a buscar seus cuidados pois as causas são amplas e diversas. Ora pode ser algo simples e que um dia vai se resolver. Mas, por outro lado, é possível que a causa seja oriunda de um transtorno mais severo e com graves consequências no desenvolvimento infantil e que necessita de pronta intervenção, como os TEA.

  • Boa noite! Parabéns pela matéria, é muito importante para nós educadores e todos os envolvidos com estas crianças pois , o quanto antes identificamos as dificuldades do desenvolvimento das mesmas no caso a cima descrito a fala, é de extrema importância que coloquemos essa criança para um tratamento adequado visto que pode se agravar o problema principalmente nos TEA.Um grande abraço e que Deus os abençoe!!!

  • Dra Luciana Brites e Dr Clay Brites estou com muita dificuldade de acessar as lives ao vivo queria poder entrar ao vivo pois tenho muitas dúvidas e gostaria que me esclarecesse!!

    • São vários aspectos que contam.
      É importante você observar sim, mas sempre procure um profissional.
      Abço

  • Dra Luciana eu tenho um netinho que é gemilar, ele ficou 5 meses na UTI para ganhar pelo fez uma cirurgia no intestino. ele está com atraso na Fala a mãe já procurou neuro está fazendo acompanhamento com uma fono mas eu não estou vendo resultado. A mãe já pôs a escolinha, Ele responde todos os comandos,atualmente ele esta com 2 é 8 meses. Porém eu continou preocupada é gostaram muito de poder ajudar mais.

  • Amei sua matéria, eu tive uma aluna que falava ” Ana quer isso…. Aquilo… “. Conversei com a mãe para conversar com o pediatra, ela me respondeu com aspereza e tirou a menina da escola. Foi uma criança inesquecível em minha vida, infelizmente não pude fazer nada por ela e pelo jeito ninguém poderá se ela não aceitar que há algo diferente.

    🙁

  • Boa tarde Luciana! Toda informação tem como objetivo informar, esclarecer, ajudar e até intervir. Sou a favor de que quanto mais estudo, melhores serão os prognósticos. Poderia citar quais foram as fontes utilizadas para a construção do seu texto? Seria fundamental citar também que o profissional formado e habilitado à tratar da fala e suas alterações (processos de comunicação em geral) é o Fonoaudiólogo. Seria maravilhoso ver um colega de profissão falando de um assunto tão enriquecedor. Quem é o Fonoaudiólogo da NeuroSaber?

    Abraços,

    Lílian Krasznitszky de Araújo
    Fonoaudióloga.

  • Parabéns pela matéria, muito importante para nos educadores estarmos ciente das dificuldades da fala .Gostei muito tirei duvidas e estarei sempre lendo a matéria para estar mais informada.

  • QUERIA MAIS INFORMAÇÃO SOBRE UM DOS PROBLEMAS DO ATRASO NA FALA: O “ATRASO”. MINHA FILHA TEM 2 ANOS E 4 MESES MAS NÃO FALA, DIZ APENAS ALGUMAS PALAVRAS E SÃO MUITO POUCAS. JÁ OBSERVEI E NÃO PERCEBO NENHUM SINAL DE AUTISMO NELA, PELO CONTRÁRIO, ELA É MUITO SOCIÁVEL E GOSTA DE FICAR COM OUTRAS CRIANÇAS MAS A CONVIVÊNCIA DELA COM AS DEMAIS CRIANÇAS É POUCA ELA FICA MAIS É COMIGO PORQUE MORAMOS ELA E O PAI MAS FICA MAIS COMIGO. SERÁ Q ISSO INFLUENCIA NO ATRASO DA FALA DELA?

  • Dra Luciana e Dr Clay estou trabalhando com um adolescente com TEA e baixa visão e me preocupo em diversificar o máximo o planejamento e as atividades para que o estudante possa estar avançando em sua aprendizagem. Gostaria de estar participando de todos os cursos sobre o Autismo para ter mais interação e esclarecimentos sobre o assunto. Vocês estão de parabéns por nos dar a oportunidade de estarmos sanando nossas dúvidas e apresentar novos caminhos e alternativas para trabalharmos com nossos alunos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *