Estimule a linguagem da criança com autismo

Hoje o espaço é para falarmos sobre a linguagem em crianças com autismo. É sempre importante lembrar a vocês que não podemos generalizar. Isso significa que enquanto um pequeno pode ter dificuldades de formular uma frase simples, outro pode produzir sentenças complexas e muito eruditas para a idade. Tudo isso deve ser olhado com muita cautela e de forma individualizada para uma intervenção adequada.

Outra questão que deve ser levada em conta na estimulação da fala do autista é avaliar, com acompanhamento especializado, o nível da dificuldade que a criança apresenta.

Vocês já repararam que os pequenos, quando não conseguem formar uma oração, soltam sons? É isso mesmo, o autista quer se expressar e muitas vezes ele usa outras manifestações para fazê-lo. No entanto, existem maneiras de se estimular a fala do autista. Só vale ressaltar, porém, que o acompanhamento com fonoaudiólogos é determinante para o sucesso da criança.

O que fazer para estimular a fala em pequenos com autismo?

Antes de darmos as sugestões, é importante frisar que a criança, ao emitir qualquer som, está querendo falar alguma coisa, passar alguma mensagem; tem um propósito ali. Então, nunca a force a se expressar da maneira que ela ainda não está apta. Vejam as dicas para o estímulo:

– Considere todo som balbuciado uma comunicação (em toda tentativa de expressão do pequeno, comemore com ele esse passo);

– Procure lugares livres de ruídos para que o pequeno preste atenção em sua fala;

– Elabore frases curtas e bem articuladas (se a criança quiser um copo d’água, coloque-o perto de seu rosto e fale com uma articulação exagerada – de forma que todas as letras sejam pronunciadas);

– Se a criança emitir apenas as vogais da palavra água (AUA), comemore o progresso. Sua criança está tentando acompanhar o aprendizado. Lembre-se que o incentivo é o segredo do sucesso;

É muito bom salientar que esses estímulos fortalecem o poder de comunicação. No dia a dia você pode falar água, a palavra de nosso exemplo, de forma normal ou com a voz de um personagem que a criança gosta. Sigamos com as estratégias de estímulo.

– Para que sua criança se comunique, ela precisa ter um motivo. Pensemos em uma estrutura de atividades em  que você oferece algo do interesse dela, por alguns segundos, e depois dê tempo para que ela mesma peça, da maneira que ela consegue.

– Vamos supor que ela goste de uma determinada brincadeira. Então você pode brincar junto com ela falando o nome da atividade, por exemplo: pular. Durante o ato, você pode sorrir e falar em tom lúdico: Pular, Pular, Pular! Dessa forma, ela irá aprender o que significa aquilo e, assim, estimular a fluência do pequeno.

– Se a criança falar apenas UA, UA, UA, com intenção de pronunciar a brincadeira feita, comemore muito. Lembre-se que o estímulo em cada gesto é muito bem-vindo.

Tente estabelecer essas tarefas em todas as situações, mas sem forçá-la a nada. O tempo dela é importante e deve ser respeitado. A criança pode se superar. Não se esqueça de levar esses progressos aos terapeutas. Eles podem traçar outras estratégias que ajudarão imensamente a criança.

    • sou mediadora de uma criança autista
      e uso como estimulo para ela usar o vaso sanitário o lencinho umidecido da turma da monica que ela adora
      voce tambem pode estimulae o seu pequeno com um personagem que ele gosta e curte no seu dia a dia
      assim a criança quando vera figura daquele personagem vai saber que é hora de ir ao banheiro….
      outra estrategia é fazer placas com personagem preferidos da criança indo ao banheiro, e sempre mostrar essa placa direcionando a criança até o banheiro….
      usei essa tatica e funciona muito bem

    • eu fiz assim. sempre percebi quando a minha filha queria fazer xixi/coco. ela sempre se escondia. entao comecei ir atras dela.primeiro levava o pinico. e sempre colocava ela sentada. ate que um dia ela fez xixi jo pinico. meses depois fez xixi no vaso. meses depois fez coco no pinico. e depois no.vazo. com cinco anos completos aaprendeu a usar o banheiro. lembrando quando perder a paciencia nao deixe ele perceber , isso pode causar na crianca trauma. e quando ele completar a etapa e conseguir usar o pinico e depois o vaso. sempre comemore.

    • Edmilson, voce não dá maiores detalhes, mas as crianças com TEA reagem de formas diferentes e portanto podemos estar tentando atravez de estimulos positivos o uso primeiramente do convencional muito utilizado para depois irmos para o vaso e assim mesmo é importante utilizar um adaptador para vasos sanitarios caso ele tenha receio.Nunca forçar uma situação e sim ir descobrindo aos poucos uma maneira de estar incentivando-o.

  • Estou terminando um curso em” Inclusão com ênfase na deficiência intelectual”. E preciso desenvolver um T.C.C. (Artigo). Estou com dificuldade para encontrar um tema para
    desenvolver esse T.C.C. Preciso de sugestão.

    Desde já agradeço.

    • Guiomar! dentro da Deficiencia Intelectual seria interessante voce abordar uma area em que pretende atuar ou melhor que ja tivesse algum contato , como por exemplo na educação infantil, na adolescencia, etc. porque assim tornar-se-a uma pesquisa dentro de uma realidade que conhece ou pretende conhecer. Espero te-la ajudado.

  • Meu afilhado tem aspar e um autismo leve. Como posso ajudar ele a usar o vazo sanitário., e como posso ajudar ele a falar ele tem 3 anos.
    Ele fala o alfabeto todo em inglês e conta de 1 a 50 e nunca foi a escola

    • Alexandre eu recomendo que assista a aula dada pelo Dr. Clay sobre ” Tirando suas duvidas sobre autismo” postadas no canal da Neurosaber no you tube. Voce encontrará as respostas necessarias e mais informaçoes muito importantes que o ajudarão.

  • Adotei uma criança de três anos hj está com nove anos;porém, tem MT dificuldade na pronúncia. Por ese motivo gostaria MT de fazer esse curso,mas encontro sem condições financeiras para fazê -lo.Estou usando as aulas de exposições para ajudá -lo.Obrigado por proporcionar essas aulas.Bjs.

    • Maria Roseli voce encontrará muitas informaçoes e aulas no site e no canal da Neurosaber no you tube que a ajudarão. Obrigada

  • Muito interessante as dicas. Meu pequeno já consegue formular frases embora o som de algumas letras saindo distorcido, dá pra compreender. Gostaria de dicas para que ele use mais a fala, pra interagir com as pessoas. Por exemplo, perguntar algo ou contar história.

    • Maria cada criança tem sua especificidade, seu tempo, mas os estimulos corretos são imprescindiveis principalmente o acompanhamento fonoaudiologico.

  • Qual idade que a criança já fala mamãe e papai? A partir de que idade devo me preocupar com uma possível dificuldade?
    Obrigada

    • Elizabeth o bebê por volta dos 9 meses inicia as primeiras palavras como “papá” “mamá” porem dependerá da estimulação recebida.A Partir de 12 à 24 meses ja possui um repertorio restrito de palavras compreensiveis.

  • Acho que as mães devem se comunicar passar informação, experiência, aprendizados, entre se.
    Acho muito importante a comunicação.

    • Com certeza Ana Paula! essa troca de experiencia só tem a enriquecer o tratamento e o conhecimento para melhor desenvolvimento das crianças.

    • Edna esse trabalho voce pode conseguir com muita paciencia e aos poucos , mas seria muito interessante que o profissional que o acompanha que o conhece melhor possa lhe passar essas informaçoes.

    • Obrigada Jenifer! voce encontrará mais informaçoes no site, e nas aulas disponiveis no canal da Neurosaber no youtube. Abraços

  • Sempre muito aproveitável as aulas on line, dicas e sugestões!!!! Trabalho com criançãs autistas, que não falam, também através de cartões com figuras, daquilo que ela mais gosta!

  • Parabéns pelo trabalho. Gostaria de saber qual o endereço de email eu poderia enviar minha pergunta? Enviei uma para o dr Cley e não obtive resposta. Já faz mais de uma semana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *