O que é a Síndrome de Kanner?

A síndrome de Kanner é a forma mais severa do Transtorno do Espectro Autista e também é conhecida como autismo clássico.

Trata-se de um distúrbio grave, que geralmente se manifesta nos primeiros anos de vida. Muitas crianças com síndrome de Kanner têm deficiência intelectual e cerca de 50% apresentam atraso motor.

As principais características da síndrome de Kanner são: falta de interação com outras pessoas; ausência ou anormalidade do desenvolvimento da linguagem; comportamento e atividades repetitivas; interesse obsessivo por padrões, músicas, quebra-cabeças; insistência na preservação da mesmice no meio ambiente. 

Veja neste artigo como ela foi descoberta e conheça suas principais características e tratamentos.

Como a  Síndrome de Kanner foi descoberta?

A Síndrome de Kanner foi reconhecida pela primeira vez em 1943 pelo médico Leo Kanner, psiquiatra do hospital Johns Hopkins. Ele percebeu comportamentos incomuns nas crianças que atendia, como o isolamento severo.

As crianças observadas por Kanner também apresentavam outras características semelhantes: não demonstravam habilidades sociais — contato afetivo —  distúrbios intelectuais, psicomotores, alimentares, da linguagem e do comportamento. O psiquiatra chamou esse quadro inicialmente de Distúrbios Autísticos, e pouco depois, de Autismo Infantil Precoce. 

Lembrando que o autismo pertence a um grupo de diagnósticos neuropsiquiátricos, conhecidos com Transtornos do Neurodesenvolvimento.

Quais os principais sintomas da Síndrome de Kanner?

Bebês e crianças com Síndrome de Kanner podem apresentar falta de comunicação e habilidades sociais precocemente. Os sintomas associados à síndrome começam cedo na infância. 

Os bebês podem evitar o contato visual, não responderem a estímulos sonoros ou verbais e não conseguirem vocalizar, levando os pais a pensarem que em deficiência auditiva. Geralmente, eles não respondem às expressões faciais dos outros e, muitas vezes, permanecem sem expressão.  

Crianças com Síndrome de Kanner podem não usar a linguagem e ter dificuldade em combinar palavras e frases. Também não usam gestos como apontar para indicar as necessidades ou desejos. 

As crianças com Kanner geralmente, quando brincam com brinquedos, em vez de exibir curiosidade ou imaginação, ficam fascinados com habilidades específicas do brinquedo. Podem ter satisfação em girar continuamente as rodas de um carrinho ou organizar repetidamente os brinquedos em sequência. 

Comportamentos repetitivos são sintomas comuns da síndrome de Kanner. As crianças podem se balançar para frente e para trás, fazer movimentos repetitivos com as mãos, bater a cabeça ou se bater. 

As crianças geralmente demonstram desinteresse em interagir com pessoas ou coisas ao seu redor. Algumas desenvolvem hipersensibilidades para sons e podem ficar com medo ao ouvirem o toque do telefone ou o estrondo de um trovão. 

As crianças com Kanner também podem desenvolver outros distúrbios de sensibilidade sensorial envolvendo olfato, paladar e tato. Podem achar alguns sabores particularmente intragáveis ou se recusarem a usar uma peça específica de roupa. Quando mais velhas, podem apresentar dificuldades de aprendizado e um grau variado de atraso cognitivo. 

Características cruciais para o diagnóstico de Síndrome de Kanner:

  • profunda falta de contato afetivo (emocional) com outras pessoas;
  • intensa insistência na mesmice em suas rotinas;
  • silêncio ou anormalidade da fala;
  • fascínio por manipular objetos;
  • altos níveis de habilidades visos espaciais ou memória mecânica, mas grandes dificuldades de aprendizado em outras áreas;

Quais as causas e origens da Síndrome de Kanner?

Kanner observou que, na maioria dos casos observados, o comportamento da criança era anormal desde a primeira infância. Ele, portanto, sugeriu um defeito inato, presumivelmente genético. Posteriormente, foi demonstrada uma taxa de concordância aumentada em gêmeos e um risco 75 vezes mais em irmãos de casos idiopáticos.

Portanto, algumas crianças herdam a Síndrome de Kanner adquirindo um defeito genético. Ainda assim, pesquisadores teorizam que outros fatores podem contribuir, como condições ambientais, distúrbios metabólicos ou do sistema imunológico.

Os cientistas também acreditam que deficiências minerais e de vitaminas causam alergias alimentares que podem desencadear sintomas. Vale lembrar que os sintomas autistas também podem ocorrer devido a outros distúrbios neurológicos. 

Qual o tratamento para a Síndrome de Kanner?

Cada criança é única, tenha ela alguma síndrome ou não. Portanto, os sintomas variam de paciente para paciente assim como o tratamento. Em geral, ele inclui métodos para melhorar a comunicação e as habilidades sociais, usando os interesses particulares da criança e o uso de reforço positivo.

É válido lembrar que o diagnóstico da Síndrome de Kanner só pode ser realizado por um médico especialista. Ao perceber os primeiros sinais, procure um profissional e ele irá analisar os melhores tratamentos.

Restou alguma dúvida sobre a Síndrome de Kanner? Deixe nos comentários.

 

Referências:

 

KLIN, Ami. Autismo e síndrome de Asperger: uma visão geral. Rev. Bras. Psiquiatr. [online]. 2006, vol.28, suppl.1 [cited  2020-04-27], pp.s3-s11. Available from: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-44462006000500002&lng=en&nrm=iso>. ISSN 1516-4446.  https://doi.org/10.1590/S1516-44462006000500002.

https://jnnp.bmj.com/content/76/2/205.full

Dr Clay Brites

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *