O que são os Transtornos Globais do Desenvolvimento?

Você já ouviu falar em Transtorno Global do Desenvolvimento ou simplesmente TGD? Caso seja uma novidade, é importante saber o que é quais as suas características. O TGD pode ser considerado como um conjunto de síndromes que interferem diretamente nas interações sociais recíprocas. Isso pode acontecer já nos primeiros anos de vida.

Comunicação: um dos principais pontos afetados

É imprescindível dizer que esses aspectos são ligados à comunicação como um todo (verbal, visual, emocional) e a habilidade comunicacional é afetada. No caso do TGD, a criança simplesmente não consegue corresponder aos estímulos desses sentidos. Além disso, vale dizer que os comportamentos tendem a vir acompanhados de estereótipos.

TGD tem proximidade com o TEA?

A semelhança da descrição acima com o autismo é muito forte, não é verdade? Pois essa impressão não está errada. A proximidade entre os transtornos faz todo sentido, uma vez que eles estão incluídos tanto no TGD, quanto no TEA (Transtorno do Espectro Autista) além de outras síndromes.

Como visto anteriormente, o Transtorno Global do Desenvolvimento (TGD) é considerado um conjunto de distúrbios que influenciam as interações sociais. Primeiramente, uma pessoa com TGD pode ser diagnosticada como alguém que tenha autismo, pois os distúrbios do TGD são os mesmos apresentados pelo TEA, Transtorno do Espectro Autista. Além disso, considera-se outros transtornos como as psicoses infantis, a Síndrome de Rett, a Síndrome de Asperger e a Síndrome de Kanner.

Com que idade conseguimos diagnosticar?

Outra informação é a impossibilidade de diagnosticar esses casos antes dos 3 anos de idade. No entanto, por volta dos 5 anos, a criança começa a manifestar alguns traços que podem mostrar uma diferença em relação a outras que tenham a mesma idade. Este momento é que os pais devem procurar ajuda especializada profissional.

Quais são as características mais comuns do TGD?

O ponto de partida para que os adultos identifiquem o TGD em uma pessoa é a característica demonstrada. Ao longo dos anos, pesquisadores comprovaram que há evidências que indicam a existência de que algo não está de acordo com a normalidade, pois então vejam quais são elas:

  • Dificuldades na coordenação motora
  • Estereotipias;
  • Falta de concentração;
  • Dificuldades de comunicação oral (nesses casos, a criança passa a se comunicar por meio de gestos);
  • Mudança repentina de humor;
  • Aversão ao toque;
  • Dificuldades para estabelecer contato visual;
  • Problemas para começar uma conversa;
  • Preferência pela não socialização e brincadeiras solitárias;
  • Ecolalia (quando a criança repete o que outra pessoa fala).

Quais são as atividades ideais para quem convive com TGD?

Importante lembrar que existem algumas atividades recomendáveis e que podem fazer diferença na vida da criança, tal como comunicação e tecnologia assistiva. Vejam quais são:

– Aulas com acompanhamento psicopedagógico, fonoaudiológico;

– Exercícios que impulsionam a psicomotricidade;

-Tarefas que procurem estabelecer, gradativamente, o contato mais efetivo da criança com as pessoas que compõem o ambiente que a cerca.

Auxílio com especialistas: o melhor caminho para o tratamento

Tão logo os sintomas sejam identificados por um profissional capacitado, o tratamento deve começar. Lembrando que esse acompanhamento precisa ser estabelecido de forma a contribuir para o desenvolvimento e o bem-estar da criança e de sua família.

Há intervenções muito boas que podem promover no pequeno progressos incríveis, mas somente o especialista é a pessoa indicada para recomendá-los. Portanto, não deixe de levar seu filho ao médico.

 

Dr Clay Brites

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *