Quais as causas da ansiedade no TEA?

Vocês já passaram por alguma situação em que a atitude de seu filho ou filha demonstrava ansiedade? Isso pode ser mais comum que se pensa, relacionando tal condição ao Transtorno do Espectro Autista (TEA). Isso pode acontecer devido a alguns fatores de aspecto ambiental, ou seja, um motivo que esteja ligado diretamente a algum estímulo externo, embora a ansiedade estabeleça a ligação entre o psíquico e o físico.

Importante ressaltar que o ansioso passa por um período de angústia e aflição por algo que, muitas vezes, não aconteceu; ou que já ocorrera outras vezes sem um bom resultado, por exemplo.

Para os autistas, a ansiedade pode vir por meio de situações que para as demais pessoas não significa muita coisa, como a mudança de rotina. Os pacientes diagnosticados com TEA tendem a ficar presos às funções rotineiras, não por comodismo, mas por conta da segurança que elas lhes causam.

Outro item que pode influenciar no aumento da ansiedade de um autista é a alta sensibilidade sensorial. Para que todos fiquem por dentro do que motiva esse quadro nos pacientes, vejam a seguir outros fatores responsáveis por isso.

Rotina alterada

Como mencionado acima, quando a criança ou o adulto com TEA se vê distante ou fora da rotina a qual estava habituado, a pessoa tende a sofrer com ansiedade. O fato de estar ‘longe’ daquilo que dá segurança é motivo para preocupação para eles. O ‘novo’ ou ‘desconhecido’ sempre pode proporcionar esta sensação.

Determinadas situações sociais

Há algumas situações em que o autista pode se ver completamente perdido, como estar em um local com pessoas desconhecidas de seu convívio. A dica é estar sempre acompanhado de quem faz parte do seu dia a dia. No caso da sala de aula, cada escola tem uma maneira de trabalhar isso, ressaltando a presença de educadores que podem auxiliar, e muito, o desenvolvimento do autista em tais locais.

Mudanças no ambiente

Esta parte é um pouco mais complicada devido à série de fatores que são influenciáveis. Imaginemos que uma criança com TEA tenha que mudar de casa. O imóvel anterior ficava em uma rua mais silenciosa e agora ela precisa morar em um local cujo fluxo de carros e de pessoas é bem maior. Isto, sem dúvida, vai impactar no comportamento dela (pode interferir no sono, na sensibilidade auditiva, etc.).

Além disso, a própria mudança de escola reflete no aumento da ansiedade. Se a nova sala de aula tiver muito ruído, o aluno pode sofrer por não conseguir lidar com tamanho barulho.

Alta sensibilidade

Uma questão que requer atenção por parte dos pais e dos educadores é a sensibilidade presente na vida dos pacientes com TEA. Assim como na situação acima (ruídos excessivos), existem outros itens que incidem sobre o dia a dia deles. Um determinado cheiro, a etiqueta de uma roupa e uma luz muito forte são apenas alguns fatores que podem causar ou aumentar a ansiedade em um autista.

Dicas

  1. Esteja sempre atento aos sinais que a criança ou adulto podem transmitir;
  2. Converse regularmente com médicos, terapeutas ocupacionais, psicopedagogos e outros profissionais que estão aptos a ajudar.


Veja este vídeo sobre ansiedade infantil:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *