Quais atividades são adequadas para crianças com autismo?

As atividades voltadas para as crianças com autismo são essenciais para um desenvolvimento completo de suas habilidades. Tudo deve ser feito com muita paciência e empolgação, porque ela deve se sentir estimulada e querida.

É importante lembrar também que as brincadeiras procuram desempenhar funções cruciais na vida da criança. As atividades agem no desenvolvimento das habilidades cognitivas, sensoriais, motoras, emocional e social, a partir do momento em que ela é colocada em situações lúdicas e que só tendem a aprimorar suas faculdades, dentro do espectro do autismo.

Interação

É importante lembrar que uma das características das atividades é a interação com a criança, pois um dos objetivos é levá-la a se comunicar com as pessoas que estão ao seu redor, principalmente quem elabora as brincadeiras.

Outro detalhe que deve ser ressaltado é que quanto mais a atividade for divertida e estimular a motivação da criança, mais propensa ela fica a permanecer na brincadeira de forma espontânea.

Estímulos

A pessoa com autismo precisa receber estímulos para que ela se interaja. A proposição de atividades que impulsionam a criança está ligada diretamente aos interesses e motivações dela. A partir disso, podemos falar em ação motivadora, que é responsável por parte considerável da interação e do desenvolvimento da pessoa.

Atividades que fazem toda diferença

As atividades a serem desempenhadas precisam de empolgação por parte de quem se propõe a estimular a criança. O estágio de desenvolvimento dela deve ser considerado. Sendo assim, as brincadeiras devem focar na necessidade de cada indivíduo. Então, vamos a algumas delas:

  • TV Musical

Esta atividade tem como objetivo estimular a participação física da criança e o contato dela com imagens coloridas. A brincadeira consiste em reproduzir canções infantis acompanhadas de gestos com os dedos. Tudo isso feito em um televisor de papelão, para estar realmente próximo da criança.

A ação motivadora nesse caso é cantar as músicas que a criança pode gostar a fim de estabelecer uma relação de interação entre ela e o adulto. Lembre-se que a imitação de vozes e trejeitos de um personagem infantil é extremamente relevante.

  • Cócegas

A atividade de cócegas é responsável pela aproximação da criança com o adulto, mas principalmente quando a brincadeira é feita por um personagem infantil (de preferência aquele que a criança tenha afeição).

O objetivo da atividade é fazer com que a criança se divirta, mas também desenvolva sua comunicação verbal ao pedir mais cócegas, tudo de maneira livre e sem cobrança (como deve ser em todas as atividades). Uma vez estimulada de maneira divertida, o personagem (o adulto) de desenho ou programa que ela mais gosta será responsável por essa aproximação e desenvolvimento das habilidades em questão. Outro benefício desta atividade é despertar na criança a atenção compartilhada de 5 minutos ou mais, o olho no olho.

  • Dado divertido

Esta atividade consiste em estabelecer brincadeiras físicas: pular, girar, entre outras ações, como arremessar pequenos brinquedos macios e coloridos para despertar a atenção na criança, além de flexibilidade.

É importante que nas primeiras vezes, o adulto jogue o dado para saber qual brincadeira será feita e depois da confiança da criança, que ela também seja estimulada a jogar o objeto e brincar.

Confira mais informações aqui em nosso site.

  • Cócegas podem ser extremamente desagradáveis e, em alguns casos, é considerado uma forma de tortura. No mais, qualquer atividade pode ser adequada para autistas, visto que o autismo é um espectro e cada um está num nível diferente. Eu, por exemplo, sou autista, dirijo e estou terminando a faculdade. É verdade que não gosto de sons altos, odeio fogos etc, mas conheço outros que não e incomodam. Cada um, cada um.

  • Amei essa matéria gostaria de saber mais sobre o assunto pois sou professora de um menino de 3 ano que foi diagnosticado autista e quero ajudar em seu desenvolvimento.

  • Muito interessante as cócegas, sou auxiliar de um autista e brinco com ele de fazer cócegas, não imagina que minha ação pudesse fazer parte de uma atividade. Ele adora pede mais e ri muito, os outros alunos se divertem ao ver suas risadas.

  • Lembro que sempre minha filha teve preferência por brincar de bola e eu aproveitei o máximo de brincadeiras
    possíveis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *