Qual a relação do Autismo e Transtorno Global do Desenvolvimento?

Mesmo com toda a disponibilidade de informações em sites, blogs, portais e outros meios de comunicação; a quantidade de pessoas que ainda confunde os vários transtornos neurológicos é bem relevante.

Embora a medicina já discuta e pesquise bastante o assunto, em seus vários aspectos, o público em geral só tem contato com o tema em alguma matéria jornalística ou divulgação de uma campanha, por exemplo. Os pais e os parentes de pacientes diagnosticados com o autismo costumam ter mais acessos a esses conteúdos, tendo em vista o aprendizado que podem ter diante da convivência e do desafio em conjunto.

A introdução acima serve para elucidar como ainda existe um espaço faltoso na compreensão dos transtornos e até mesmo de uma pessoa que seja autista. Veja neste artigo a relação existente entre o Autismo e o Transtorno Global do Desenvolvimento e como essa associação pode influenciar a vida de uma criança ou adulto.

Afinal, o que eles têm a ver?

Os Transtornos Globais do Desenvolvimento (TGD) são responsáveis por englobar os variados distúrbios que estão incluídos dentro do Autismo. Além dele, existem outros transtornos que estão relacionados ao TGD, são eles: Transtorno Desintegrativo da Infância, Transtorno de Rett e Transtorno de Asperger, para citar alguns.

O TGD é marcado pelas alterações qualitativas no que diz respeito à interação social recíproca. O autismo em si manifesta essas mesmas condições.

Características

As características entre o TGD e o autismo incidem bastante no comportamento das pessoas que são diagnosticadas. Uma criança, por exemplo, pode ter a interação social comprometida. Outro ponto que vale a pena citar é a possível falha na comunicação verbal. Nesse caso, o pequeno utiliza os gestos para se expressar.

A coordenação motora é uma função que também pode variar dependendo da intensidade do transtorno. Além disso, os conhecidos tiques são uma constante na vida de muitas crianças com TGD e autismo; aquela fixação em determinado objeto ou assunto, por exemplo.

Para ficar mais claro

Ao longo do século XX, vários estudos foram realizados a fim de encontrar explicações e soluções que pudessem responder às dúvidas dos pesquisadores. O Autismo não era considerado um distúrbio de contato afetivo, mas como um Transtorno Global de Desenvolvimento, ou seja, ambos se relacionam de maneira intrínseca.

Tratamento dos pacientes

É importante que o primeiro passo seja a observação feita a partir do contato visual da criança com os adultos, dos estímulos que ela recebe e não corresponde; do movimento nos primeiros passos; no comportamento adotado diante de barulho, texturas, gostos; enfim, há uma série de fatores que podem revelar algo que precisa ser analisado por profissionais.

A consulta médica é sempre a melhor saída para que se chegue a um diagnóstico confiável. A partir da avaliação feita pelo especialista, o mesmo deve sugerir uma intervenção que seja eficaz para o caso apresentado.

Vale lembrar que o tratamento pode receber auxílio de outros profissionais para incrementar outras atividades, como a psicologia, a fonoaudiologia e a terapia ocupacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *