Timidez e depressão podem ser sinais de autismo?

Os sinais de autismo podem ser percebidos com facilidade? Este questionamento é feito pelo fato de algumas características, como a timidez e a depressão, serem atribuídas como indicativo do Transtorno do Espectro Autista (TEA).

Timidez e depressão podem ser considerados sinais de autismo?

A partir da primeira infância (que compreende o nascimento até os seis anos de idade) já podemos ter o diagnóstico de autismo. Naturalmente, esse período é marcado por descobertas e aprendizados cruciais para a infância.

Contudo, muitos pais confundem o lado retraído da criança como característica do TEA. Crianças tímidas e até depressivas não devem ser consideradas como aquelas que vivem com autismo, pois esses fatores são diferentes, embora compartilhem uma determinada semelhança.

Não existem muitos estudos relacionando o TEA com a timidez e a depressão, como se esses dois fossem sinais do transtorno. Entretanto, algumas características do autismo podem ser confundidas.

O que é timidez e depressão?

Segundo especialistas, a timidez é uma condição complexa que não deve ser considerada como doença, logo, não tem cura e nem é uma deficiência. A pessoa tímida passa por momentos de desconforto e até certo pânico diante de alguma situação social, principalmente aquela em que se devem estabelecer contatos, comunicação verbal, etc.

A depressão é algo bem mais sério e complicado, pois ela é considerada um transtorno psiquiátrico. Diferente da timidez, a depressão é, sim, uma doença capaz de desenvolver outros males que colocam a saúde em risco.  Ela surge em qualquer fase da vida, inclusive na infância.

As pessoas que convivem com a timidez ou a depressão (em muitos casos com ambas) podem manifestar introspecção e distanciamento do convívio social. Esses quadros que afetam os relacionamentos com o outro também são notados em quem convive com TEA.

Quais são os principais sinais de autismo?

O TEA apresenta uma série de características que interferem na vida social do indivíduo, mas que não estão necessariamente ligados à timidez ou à depressão.

Vejam quais são eles a partir de três eixos:

  • Problemas que afetam a comunicação, entre eles o fato de não conseguir falar corretamente, dar uso adequado às palavras, não saber estabelecer a comunicação verbal, etc.;
  • Problemas na socialização com outras pessoas, como dificuldades em fazer novas amizades; em iniciar ou manter uma conversa de forma fluida, contato visual com o interlocutor, etc.;
  • Mudanças de comportamento, como padrão repetitivo de movimentos (tiques), grande interesse por apenas um assunto e fixação por objetos.


Atenção ainda na infância

Quando a criança completa dois anos de idade e ela demonstra distanciamento ou introspecção, os pais devem ter ainda mais atenção para os possíveis sinais de autismo; eles já podem estar muito mais evidentes, ideal  para que um especialista possa fazer sua avaliação.

O médico será o responsável pelo diagnóstico do autismo. Embora muitos pais deixem para levar seus filhos entre os quatro e os seis anos, é aconselhável que quanto antes o TEA for diagnosticado, mais eficazes podem ser as intervenções na vida do pequeno.

 

Links consultados:

http://entendendoautismo.com.br/artigo/aprenda-identificar-os-sinais-de-autismo-pelo-comportamento/

https://revistacrescer.globo.com/Primeira-Infancia/noticia/2016/04/primeira-infancia-voce-sabe-o-que-e.html

https://saude.abril.com.br/medicina/depressao-sintomas-diagnostico-prevencao-e-tratamento/

https://www.tuasaude.com/autismo-leve/

https://brasilescola.uol.com.br/psicologia/timidez.htm

 

 

 

 

Dr Clay Brites

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *